terça-feira, 9 de novembro de 2010

Trechinho...

Gente, vou postar o trechinho de um livro aqui, comenta ai ok?
Nome do livro: A rosa de vidro

Pessoa desconhecida

Eu estava sonhando com uma pessoa desconhecida... Há não ser pelos seus olhos que eram incrivelmente familiares. Eu estava em um grande quarto que, em vez de paredes havia grades e no lugar da porta tinha um grande portão incrivelmente lindo de vidro, cheio de flores, só uma era diferente, era uma rosa vermelha. Aquele estranho parecia feliz por eu estar presa ali, quando, eu vi uma pessoa presa acima em uma jaula tosca grande o bastante para ficar de pé, observei com muita atenção até que a pessoa dentro dela saiu das sombras e disse calmamente, mas com a voz alarmante “Alice” e eu imediatamente percebi quem era... Quem estava ali trancafiado era meu namorado Michael. Fiquei desesperada ao vê-lo ali, mas depois tudo desapareceu e eu vi uma luz entrar por meus olhos, percebendo que tinha acordado, olhei para o relógio e era sete e meia! Eu tinha meia hora para me arrumar e ir para o colégio, me atirei para fora da cama ainda confusa com meu sonho, mas não liguei para isso.Tinha pouco tempo para me arrumar e era o penúltimo dia de aula, então não queria chegar atrasada. Dispensei o banho e comecei a pentear meu cabelo rapidamente enquanto pegava alguma roupa, desci ás presas e vi meus pais tomando café.
   – Filha! Eu ia te acordar agora mesmo – Disse minha mãe.
   – Coma rápido senão vai se atrasar – Disse meu pai em seguida me oferecendo um pedaço de torrada com geléia, peguei-a e a comi rapidamente, depois subindo para escovar meus dentes e dar uma ultima olhada no espelho, uma garota de cabelos castanhos médios, olhos castanho-claro, pele branca, magra de 16 anos olhou para mim, dei um tchau rápido para meus pais e sai para o sol, provavelmente estavam 30ºgraus ali. Olhei para meu relógio... Eu tinha 10 minutos para chegar ao colégio sem me atrasar, então decidi pegar o ônibus, me sentando na poltrona mais próxima da saída.
Enquanto estava no ônibus pensei em meu sonho não sabendo se o qualificara de pesadelo, mas decidi chama-lo de sonho, pois não conhecia aquele homem que parecia tão feliz, mas seus olhos eram familiares, seus olhos eram um ocre muito escuro, seu rosto era meio redondo, era moreno, tinha cabelos curtos e loiros, com um corpo atlético e alto. Meus pensamentos estavam perdidos em meu sonho quando o ônibus havia parado e eu desci. Eu estava entusiasmada com os últimos dias de aula, pois alguns professores (os que eram legais pelo menos) não davam matéria, deixavam à gente conversar e até participavam, por outro lado os professores que não eram legais davam muita matéria, e mesmo que acabássemos não podia conversar. Por sorte a primeira aula era com o professor Paulo e ele era um dos professores legais. Chegando a sala de aula eu a varri com meus olhos até que o encontrei, Michael tinha cabelo castanho escuro um pouco desarrumado curto, olhos castanhos, o rosto quadrado, tinha a pele branca, alto, com um corpo um pouco musculoso. Ele me localizou facilmente encontrando os meus olhos e dando um sorriso estonteante que me fez sorrir também. Andei rapidamente até ele e o beijei até que ele parou e afastou o rosto dez centímetros de mim.
   – Oi – Disse ele. Parecia inútil parar para dizer isso.
   – Oi. Tudo ok? – Eu peguei sua mão e começamos a andar em direção aos nossos amigos.
   – Ótimo e você?
   – Ótima também.
Chegando aos nossos amigos todos começaram a conversar. A aula fora divertida, o professor estava de excelente humor. Terminada a aula todos pegaram a mochila com um suspiro de tristeza por a aula ter acabado. Argh. A próxima aula era com a Sra.Gocks. Eu gemi, ela era a pior professora do colégio. Ás vezes já tive desejo de fingir que estava doente para faltar á está aula mesmo gostando da matéria que era matemática. Na aula dela não pode conversar, nem nos últimos dias de aula, mas pelo menos ela deixava nós lermos, uma coisa que eu adorava, então não reclamava de nada. Na aula depois de terminar tudo remexi minha bolsa e peguei meu exemplar do livro “Romeu e Julieta”, eu já tinha acabado de ler, mas era muito bom para passar o tempo e era um de meus livros favoritos. Mas, ao que parecia que muitos alunos estavam com dificuldades para resolver os exercícios a não ser eu, minhas amigas Nathalia, Lílian, Ana e meus amigos Bruno e Max. O resto da turma estava muito aprofundada em seus exercícios, Michael também estava com dúvida e não era à toa, ele odiava matemática. Eu, aproveitando o silencio, pensei em meu sonho outra vez, me perguntando se devia contar á Eric, tentei refletir sobre isso, mas decidi não contar a ele. Fiquei o resto da aula pensando no sonho e naquele homem que agora me trazia medo, não sabia se queria sonhar com isso outra vez para descobrir mais ou se apagaria isto completamente. Achei a segunda idéia irrelevante por causa da minha excepcional curiosidade. Eu iria contar só a Nathalia. A professora dissera que tinha tarefa quando a sineta tocou.
   – Hmmm, Nathalia? – A chamei.
   – Sim? – Disse ela num tom de felicidade misturado com ansiosidade, e eu sabia muito bem o por que.
   – Quero te contar o meu sonho da noite passada.

DIgam o que acharam do trechim ok?

Beijinhos de vidro / nham, que horror.

Giovanna Pronin

3 comentários:

henrique menna disse...

muito seu blog, ja vou segue ele, quando de me segue tambm ta! http://henrique199.blogspot.com

Lilian Pronin disse...

Voce sabe que ja adoro esse trecho! Parabens!

giovanna disse...

Obrigada people!

Vou lá seguir sim Henrique